IBG Prevê Parada de Crescimento Populacional em 30 Anos

27 11 2008


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em estudo afirmou que em 2050 a taxa de crscimento poupalcional reverterá para baixo, ou seja, o crescimento zero. Segundo o Instituto, seremos, em 2050, 215,3 milhões de brasileiros, estimativa 44% menor do que o relatório divulgado em 2004 pelo IBGE, no qual estimava uma população de 259,7 milhões.

Entre 1950 a 1960 o índice da taxe de crescimento era de 3,1%, reduzindo para 1,05% em 2008. Em 2050 essa taxa estará, segundo o estudo, em -0,291%.

A população do Brasil, em 2039 poderá chegar ao crescimento zero.

Mais detalhes vocês pdoerão encontra em G1

Abraços!





14 Coisas Que Você Deve Saber e Aplicar na Logística

24 11 2008


O site Intelog publibou um artigo muito bom com recomendações que devemos estar atentos para se dar bem com logística.

Seguem as recomendações:

1) Valorize a figura do cliente e do fornecedor interno, e conquiste o livre trânsito entre os departamentos da sua empresa, principalmente aqueles diretamente relacionados com a sua rotina diária. Isto lhe proporcionará obter melhores resultados em seu trabalho com muito menos estresse e de uma forma extremamente rápida e eficaz.

2) Deixe de lado a postura “ouvi dizer”, “fiquei sabendo”, “me falaram”, etc., e procure se aprofundar nos temas relacionados ao seu dia-a-dia ou impactantes no negócio da empresa onde você trabalha. Sempre complemente as informações obtidas com dados quantitativos.

3) Domine a ferramenta Microsoft Excel, por mais que a sua empresa disponha de uma ferramenta ERP como SAP, Oracle, Microsiga, Datasul, etc. Não ache que o uso de um ERP permitirá você se livrar do Excel.

4) Aprofunde o seu conhecimento em finanças, custos e análise de investimentos. Não se limite ao conhecimento superficial e procure complementar a sua visão com cursos de extensão e literatura técnica.

5) Tenha a estatística como sua importante aliada na interpretação e análise de dados. Se você não conhece ou não gosta, comece pelo básico, pelo menos entendendo (e aplicando) conceitos como média, mediana, quartil, desvio-padrão, coeficiente de variabilidade, etc.

6) Meça o seu desempenho, e tenha entre três a cinco indicadores. Não apenas enxergue a realidade atual, mas procure também criar indicadores de tendências; visibilidade será crucial no futuro próximo (em muitos casos já é).

7) Aproxime-se da área de Vendas e Marketing; desenvolva uma relação amigável, mas não submissa. Prepare-se para as discussões sempre utilizando argumentos racionais e amparados em dados estatísticos.

8 ) Não esquente a cadeira de seu confortável escritório. Reserve tempo (muito se possível) para estar próximo da operação.Tenha uma comunicação honesta a aberta com seus funcionários, não importando o nível.

9) Não lute contra a tecnologia. Ela é uma realidade e uma necessidade e está cada vez mais acessível. Entenda mais sobre soluções WMS, TMS, RFID, automação de estoques e separação de pedidos, etc.

10) Não se contente com o nível de conhecimento “intermediário”. Não existe inglês ou espanhol intermediário, e muito menos domínio intermediário do Pacote Office. Saia desse ”perigoso” meio de caminho e rapidamente se estabeleça em um patamar superior!

11) Tenha um mentor a quem possa se aconselhar constantemente e também permita que seus pares e que sua equipe faça observações e comentários a seu respeito.

12) Esteja mais próximo dos Clientes da sua empresa e escute-os com atenção. Reserve alguns dias do mês para visitá-los.

13) Amplie o seu senso de urgência. Seja mais disciplinado. Tenha objetivos no curto, no médio e no longo prazo.

14) Por fim, continue aprimorando o seu conhecimento técnico em logística, principalmente através da leitura de livros publicados na Europa e nos Estados Unidos. Também não deixe de ler revistas técnicas. Nunca ache que você tem pleno domínio do tema logística,

Por Marco Antonio Oliveira Neves-Diretor da Tigerlog Consultoria”

Fonte: Intelog





Petrobrás Descobre Mais Óleo Leve no Pré-Sal

22 11 2008


A Petrobrás divulgou ter descoberto óleo leve na bacia do pré-sal, no Espírito Santo em área denominada Parque das Baleias, após concluir perfuração de dois novos poços. É estimado entre 1,5 bilhão à 2 bilhões de barris de óleo equivalente (boe). Com essa descoberta, os reservatórios do Parque das Baleias chegaram a 3,5 bilhões de boe.

Os reservatórios se encontram entre 4.200 a 4.800 metros de profundidade a partir do nível do mar e apresentam espessuras porosas de óleo de 190 a 300 metros.

Os excelentes resultados dos Teste de Longa Duração (TLD) do poço pioneiro 1-ESS-103A e as facildiades logísticas já instaladas e em instalação na área levam a Petrobrás a intensificar os estudos visando acelerar a produção do pré-sal no Espírito Santo.

Abraços!





Banco do Brasil Compra Nossa Caixa

22 11 2008

O Banco do Brasil comprou por R$5,4 bilhões o banco Nossa caixa, controlado pelo governo paulista. Essa compra fez com que o Banco do Brasil não ficasse muito distante do Itaú, que se uniu com o Unibanco. Essa compra ajudará o Banco do Brasil a ganahr mais clientes no estado de São Paulo, o mais rico do país. A Nossa Caixa possui R$16 bilhões em depósitos judiciais e a folha de pagamento do funcionalismo paulista.

O que será que o Bradesco e Banco Real farão? Acho que em breve ouviremos notícias sobre os dois bancos.

Até!





Locomotiva Nacional

22 11 2008


A empresa EIF de restauração e manutenção de locomotivas está produzindo sua própria máquina. A primeira locomotiva fabricada pela empresa a pedido da CSN – Companhia Siderúrgica Nacional tem 1 mil HPs de potência e servirá como máquina de manobra na nova unidade da CSN, em Volta Redonda nos primeiros meses de 2009.

Outras 15 unidades já estão sendo negociadas com a empresa, mas nenhum pedido confirmado. Mas isso mostra como o modal ferroviário está ganhando importância no país, com construção de locomotivas nacionais para atender a demana cada vez maior desse meio de transporte.

Em 1998 os trens eram responsáveis por 18% das cargas transportadas, hoje chega a 26%. A frota de locomotivas na época era de 1,5 mil unidades, hoje esse número está em 2,8 mil.

Abraços!





Para Quem Acha Qua Piratas Não Existem

20 11 2008


O artigo abaixo é do Valor Econômico e diz respeito aos piratas modernos.


O seqüestro de um navio-tanque saudita na costa do Quênia vai elevar os custos de seguros e de segurança para a marinha mercante e forçar mais embarcações a adotar uma rota mais segura e mais lenta ao longo da continente africano, na opinião de seguradoras e companhias de transporte marítimo.

O ataque ao MV Sirius Star deu-se a 800 quilômetros da costa, numa área que se pensava fora do alcance de piratas. Eles atacaram um navio de 324 metros de comprimento, carregado com US$ 100 milhões em petróleo, demonstrando um poder de alcance sem precedentes.

O evento pode levar as seguradoras a exigir seguro especial para cobertura de uma área marítima muito maior e encorajar as companhias de transporte marítimo a contratar mais segurança a bordo. “Isso pode mudar as regras do jogo”, diz Peter Hinchliffe, diretor marítimo da Câmara Internacional de Transporte Marítimo, baseada em Londres.

Os piratas fizeram um novo ataque ontem, quando um cargueiro com bandeira de Hong Kong, carregado com 36.000 toneladas de trigo com destino ao Irã, foi seqüestrado no Golfo de Áden, perto do Iêmen, segundo a agência chinesa de notícias Xinhua.

O destino do Sirius, agora ancorado nas proximidades de Harardhere, na Somália, continuava incerto até ontem à noite. A Otan e a 5ª Frota da Marinha dos Estados Unidos anunciaram que iriam manter quatro navios de guerra no Golfo de Áden, em alto-mar, na altura da Somália e do Chifre da África, onde a maioria dos ataques tem ocorrido.

“No momento, a Vela está aguardando contato mais preciso dos piratas que controlam o navio”, informou o proprietário da Vela Internacional, empresa baseada em Dubai que é a subsidiária de transportes da petrolífera saudita Aramco.

As taxas de seguro de frete marítimo são um segredo bem guardado, negociado separadamente em cada viagem. Os transportadores dizem que pagam entre US$ 2.000 e US$ 5.000 por dia para cobrir desde acidentes e vazamentos de óleo até ataques de piratas ou mortes a bordo. O custo total de operação de um petroleiro, incluído combustível, está entre US$ 10.000 e US$ 50.000 por dia.

Se os ataques continuarem, as seguradoras vão aumentar os preços para as embarcações que fazem a rota de três dias pelo Golfo de Áden e o Canal de Suez até os governos provarem ser capazes de conter a pirataria, diz Simon Beale, da Amlin PLC, uma seguradora de Londres.

Há sempre cerca de 300 navios mercantes no Golfo de Áden, segundo estimativa da Câmara Internacional de Transporte Marítimo. Os piratas atacam um em cada dez deles. A maioria dos ataques fracassa. Segundo a Lloyd’s Marine Intelligence Unit, firma britânica de dados da marinha mercante, aproxidamente 6.500 petroleiros, carregando 7% de todo o petróleo do mundo, usaram a rota em 2007.

Em maio, as seguradoras declararam o Golfo de Áden uma zona de “risco de guerra”. As transportadoras que usam a rota de três dias pagam um “prêmio de risco de guerra” de dezenas de milhares de dólares por dia, dizem empresas de seguros e de transporte marítimo, o que pode agora ser ampliado. “Ainda não decidimos se é ou não o caso de declarar a rota do Cabo uma rota de risco de guerra”, diz Brendan Flood, da Hiscox, uma integrante do do Lloyd’s de Londres.

Recentemente, a Hiscox começou a oferecer segurança adicional para seqüestros e resgates entre US$ 12.000 e US$ 19.000 por viagem no Golfo de Áden. A companhia não informou se alguém já comprou as novas apólices.

Os piratas da Somália já coletaram cerca de US$ 30 milhões em pagamentos de resgate este ano, segundo a Agência Marítima Internacional. Os transportadores de óleo dizem que estão confiantes de que os navios de rotas ao redor da África podem se desviar dos piratas navegando mais para o alto-mar. “Esse não é ainda um risco permanente”, diz Michael Storgaard, um porta-voz para transportadora marítima A.P. Moller-Maersk.

A natureza espetacular do ataque ao Sirius também vai levar ao aumento dos salários das tripulações, dizem as transportadoras.

mês passado, quando um dos petroleiros foi atacado, o capitão Russell Davies aumentou a velocidade da embarcação e dirigiu em ziguezague até aparecer um navio espanhol. “As balas dos piratas faziam barulho nas laterais”, diz ele. Davies diz que receberia bem a presença de seguranças armados a bordo, como alguns governos recomendaram. As seguradoras e as transportadoras dizem que uma tripulação armada poderia colocar os navios em situações ainda mais perigosas.

Algumas embarcações são invulneráveis. Navios de contêiners, que carregam a maior parte das mercadorias manufaturadas do mundo, navegam muito acima da linha de água e são relativamente rápidos, viajando em mar aberto a 45 quilômetros por hora.

Os lentos petroleiros e graneleiros têm mais a temer. A Odjfell SE, uma companhia norueguesa com 100 navios-tanque de transporte de produtos químicos, informa que está desviando a rota de todas as unidades que percorrem a costa africana, a um custo extra de US$ 30.000 por dia.

Por Valor Econômico – SP-John W. Miller, The Wall Street Journal

Para quem pensava que Jack Sparrow foi o último pirata, está completamente enganado. Só que os piratas modernos usam fuzis, metralhadoras, pistolas, arma de grosso calibre, explosivos, enfim, um arsenal de guerra.





Mesmo com Crise, Crédito do BNDES Cresce

18 11 2008


Mesmo com a atual crise financeira, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) teve aumento de crédito para exportação na faixa de 44,5% nos dez primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, e chega a R$4,5 bi.

O objetivo, segundo Luciano Coutinho, presidente do BNDES é chegar a R$6 bi. O motivo do aumento, segundo Coutinho, foi o fato da crise econômica secarem as linhas de exportação em outubro, fazendo com que os empréstimos para exportação chegassem a 115% de aumento em relação aos nove meses anteriores.

O banco emprestou R$86,6 bilhões nos ultimos doze meses e espera chegar aos R$90 bilhões no fim do ano.

Mais detalhes em Folha

Uma boa forma de manter as empresas nacionais com poder para exportarem seus produtos e continuar funcionando, não digo com força total, mas o suficiente para se manterem estáveis, e empregando várias pessoas. Só assim a roda da economia não pára.

Abraços!