Revista LogWeb para Download

28 04 2009

A revista LogWeb é disponibilizada gratuitamente via PDF. A seguir segue o link para nova edição: LOGWEB 86
Abraços!




Maior Queda da Demanda de Aço no Mundo Desde a Segunda Guerra Mundial

28 04 2009


A demanda global por aço deve recuar 14,9 por cento em 2009, para 1,019 bilhão de toneladas, na mais drástica redução desde o a Segunda Guerra Mundial. Os números foram divulgados nesta segunda-feira pela Associação Mundial de Aço.

A entidade, cujos membros produzem cerca de 85 por cento do aço do mundo, informou que espera que a demanda se estabilize no final de 2009, ocorrendo uma recuperação em 2010. A associação não informou uma previsão exata para o próximo ano.

“A melhora no consumo de aço no segundo semestre de 2009 dependerá dos efeitos dos pacotes de estímulos governamentais, continua estabilização dos sistemas financeiros e retorno de parte da confiança do consumidor”, informou Daniel Novegil, presidente da comissão econômica da associação.

A demanda de aço da China, maior país produtor e consumidor do metal, deve cair cinco por cento. Essa queda, se confirmada, será a primeira desde 1995, informou a entidade.

A demanda pelo metal deve despencar 36,6 por cento nos Estados Unidos este ano e 28,8 por cento na União Européia.

Já no Brasil, a demanda deve recuar 14,5 por cento, para 20,5 milhões de toneladas, após uma alta de 8,6 por cento em 2008.

Na Índia, um dos poucos países a ir contra a tendência, a demanda deve avançar 2 por cento este ano.

Fonte: EXAME





Petrobras Anuncia Nova Jazida nos Reservatórios do Pré-sal

15 04 2009


A Petrobras enviou na noite de ontem (14/04) um comunicado a ANP (Agência Nacional do Petróleo) sobre a descoberta de mais uma jazida de óleo leve em águas ultraprofundas na Bacia de Santos. O reservatório fica a 4.900 metros de profundidade e teve sua primeira amostragem através de teste a cabo. Esta nova jazida fica localizada no bloco BM-S-9, onde a Petrobras forma consórcio com a Repsol e BG Group, com peso na participação de 45%, 25% e 30% respectivamente. Este bloco foi o mesmo responsável pela polêmica causada em 2008, após declarações de Haroldo Lima, diretor-geral da ANP, e a descontrolada valorização das ações da estatal.

Fonte: ADVFN





Grupo de Logística no LinkedIn

15 04 2009


Convido aos usuários da comunidade de relacionamentos profissional, LinkedIn, para se juntarem ao grupo Logistics Supply Chain Brazil .





Tecnologia Nas Locomotivas da Vale

8 04 2009


A Vale acaba de lançar um projeto inédito no Brasil, o Trem Bicombustível, que prevê a utilização da mistura gás natural e diesel em suas locomotivas. Os testes começaram na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), uma das ferrovias mais produtivas e eficientes do mundo. Nesta fase, serão investidos R$ 2,4 milhões e utilizadas diferentes concentrações de gás, variando entre 50 e 70%. Após os testes, a Vale irá avaliar a possível expansão da utilização do gás na frota de locomotivas da EFVM e Estrada de Ferro Carajás (EFC).

A conversão dos motores das locomotivas para o gás natural permitirá a redução das emissões de CO2 na atmosfera, provenientes da queima de combustíveis. Estima-se que, com o uso futuro de gás nas locomotivas das ferrovias EFVM e EFC, deixarão de ser emitidas 73 mil toneladas de CO2 equivalentes na atmosfera por ano. Este número corresponde ao sequestro de CO2 do reflorestamento de mais de 155 hectares de mata nativa e equivale, também, à emissão de uma cidade não industrializada de aproximadamente 9 mil habitantes.

Com a utilização de gás natural nas locomotivas, a Vale vai evitar uma quantidade de CO2 superior ao que deixou de ser emitido por toda a empresa com o uso das misturas de biodiesel B2 e B3 (71 mil toneladas) em 2008, em locomotivas, caminhões fora-de-estrada e na geração elétrica. Em janeiro de 2007, a Vale antecipou-se à Lei Federal 11.907/05 e passou a utilizar o B2 (mistura 2% de biodiesel e 98% de diesel comum). Em julho de 2008, substituiu o B2 pelo B3 (3% biodiesel e 97% diesel comum).
A primeira viagem do trem verde pioneiro no país foi feita em dezembro de 2008. O motor de uma locomotiva modelo BB36 foi convertido para gás natural e a composição circulou com 168 vagões na malha da EFVM.

Os investimentos da Vale nos novos motores a gás natural estão alinhados à estratégia da empresa de investir no mercado de gás, por meio da aquisição de participações em blocos exploratórios, ampliando seu consumo e as opções de geração energética. Desde 2007, a Vale investe em participações em consórcios para exploração de gás natural nas bacias sedimentares brasileiras. A empresa já construiu um portfólio composto por 17 blocos. Em novembro de 2008, a Vale adquiriu a Petroleum Geoscience Technology (PGT), empresa especializada em exploração e produção de petróleo e gás.

Tecnologia

Além dos motores a gás, mais uma tecnologia será implantada nos trens: os freios eletropneumáticos (ECP). Eles são dispositivos que facilitam o controle de velocidade e a rápida atuação dos freios em todos os vagões de uma composição, possibilitando ao operador melhor controle do trem. Os freios eletropneumáticos contribuem diretamente para ganhos de eficiência energética, garantindo economia de cerca de 5% no consumo de combustível.

Fonte: http://www.novaeraonline.net/15201.html





Setores da Economia

1 04 2009


Vou falar um pouco sobre os setores da economia. São princípios básicos de economia e fáceis de entenderem.

A economia é dividida em três setores:

Setor Primário: É o setor da economia onde se encontram as atividades extrativas, agrícolas, pecuárias, etc. São todas as atividades relativas a recursos naturais. Um exemplo de recurso natural é o petróleo.

Setor Secundário: É o setor da economia onde se encontram as atividades industriais, de transformação de matéria-prima em bens (produtos). Exemplo: montadoras de veículos.

Setor Terciário: Setor econômico relativo a serviços. Exemplos: instituições financeiras, empresas de telecomunicações, atendimento médico. É neste setor em que as atividades logísticas (transporte, estocagem, armazenagem, etc) se encontram.

Os países mais desenvolvidos são os que têm os setores secundários e terciários mais abrangentes. Mas é importante saber que há exceções como a Dinamarca, um país desenvolvido, cujo setor primário tem maior participação.

Até mais!