Operários Matam Executivo Na China

27 07 2009


PEQUIM – Um grupo de trabalhadores agrediu e atirou do segundo andar o diretor de uma companhia privada que pretendia comprar e cortar postos trabalho de uma siderúrgica estatal na qual eles trabalham, matando-o na hora, informou a imprensa chinesa.

O episódio ocorreu na última sexta-feira, mas só foi informado nesta segunda-feira, 27. A empresa fica na localidade de Tangshan, província de Hebei.

É a segunda tentativa da empresa privada Jianlong Steel Holding Company de comprar a estatal Grupo Siderúrgico Tonghua. Chen Guojun, o diretor da companhia privada, que ocupa o 150º lugar entre as 500 maiores empresas chinesas, tinha afirmado que demitiria os trabalhadores de Tonghua assim que a privatização ocorresse.

Os meios de comunicação local informaram que Chen liderava a delegação que informou aos trabalhadores da Tonghua, que ocupa o 244º lugar na lista, que a Jianlong compraria 65% de participação na firma e que cortaria empregos e que em breve a empresa se chamaria Chen.

De acordo com fontes policiais, o diretor da siderurgia privada chegou a dizer que dos atuais 30 mil trabalhadores restariam cinco mil, “o que enfureceu a multidão”.

Fonte: Estadão

Anúncios




Restrição Não é A Melhor Solução

27 07 2009


A maior e mais movimentada cidade do país, São Paulo, se tornou pesadelo para as transportadoras ou autônomos quando foi anunciado a Zona Máxima de Restrição no ano passado, no qual o objetivo é a diminuição da circulação de caminhões numa área de 70 km² a partir do centro da cidade, gerando, assim, melhoria no tráfego, redução de barulho e menor emissão de CO² no ambiente.

As empresas de transporte de cargas e seus vários clientes nesta área tiveram que pensar, planejar e encontrar uma forma eficiente de enviar e receber os produtos. A solução mais usada é a entrega de mercadorias no período da noite, o que é mais caro do que no período diurno, pois gasta-se com funcionários fazendo hora extra para o recebimento da carga e frete ais caro por parte das transportadoras por terem de fazer as entregas de noite.

Agora chegou a vez do transporte de passageiros fretados enfrentarem esta restrição. Estima-se que 1,3 mil veículos de transporte fretados passam por essa área diariamente, transportando trabalhadores que moram em outras cidades. Essas pessoas passam a depender de taxí, metrô ou onibûs de circulação na cidade para chegar aos seus destinos, pois o onibûs fretado não pode entrar na área restrita.

A prefeitura de São paulo alega que a medida reduzirá o tráfego na área e ajudará para redução de emissão de CO², mas eu discordo neste ponto.

Um onibûs consegue transportar mais de 40 pessoas, isso reduz o número de carros que circulam numa cidade, pois cada pessoa não precisar usar sua condução própria. O que adiantaria retirar um ônibus de circulação e ter 40 carros ou motos a mais circulando na área? Só geraria mais confusão no transito e aumentaria a emissão de CO². E, claro, aumentaria o gasto das pessoas com transporte para irem trabalhar ou estudar.

O transporte coletivo é a melhor solução para resolver os problemas de trânsito e emissão de CO². Uma cidade que investe em transporte público só tem a ganhar e os seus usuários também. Ao invéz de pensarem em restrições, por que não estudam formas de melhorar as linhas de onibûs e as de metrô? Com certeza, todos ganhariam se tivessem o pensamento coletivo.

Gostei da matéria do Portal Terra sobre a restrição do transporte fretado de passageiros, vocês podem conferir clicando aqui.





Bovespa Vai Lançar Programa de TV

24 07 2009


A BM&F Bovespa quer captar investidores de uma forma ainda mais agressiva este ano. Com o objetivo de multiplicar por 10 a quantidade de investidores pessoa física ativos no mercado e atingir a marca de 5 milhões em 5 anos, a BM&F Bovespa lançará um programa de TV chamado Educação Financeira, que passará todos os sábados na TV Cultura às 10h15 e terá uma duração de 12 minutos. A estréia do programa será no dia 8 de agosto.

Fonte: ADVFN





Convite à todos!

16 07 2009

Pessoal, convido à todos para visitarem o site http://pobrasil.org/ . O site abordará diversos assuntos relacionados à pesquisa operacional, programação, logística e outras áreas. O site está no seu começo e, em breve, trará muitos artigos e novidades.





Ilha Artificial: Solução Logística da Petrobras

3 07 2009


Uma espécie de ilha artificial com heliporto, armazéns e alojamentos tende a ser a solução para o sistema de transporte de pessoas e cargas leves para o pré-sal. Inédito na indústria do petróleo, o modelo que consiste num ponto de apoio está em estudo na Petrobras, e seguirá soluções logísticas observadas na indústria de aviação civil e em centros de distribuição de grandes redes de varejo.

A expectativa é que o “hub” seja totalmente implantado até 2015, quando o pré-sal terá 11 plataformas de produção. “Não há, no mundo, paralelo com o pré-sal em termos de movimentação de pessoas e cargas a distâncias tão grandes”, diz o gerente executivo de logística de exploração e produção da Petrobras, Erardo Gomes Barbosa.

Localizados a cerca de 300 quilômetros da costa, os campos do pré-sal deverão produzir, em 2020, 1,8 milhão de barris por dia, volume equivalente ao extraído na Bacia de Campos hoje, onde o movimento de pessoas entre o continente e plataformas marítimas chega a 40 mil por mês.

Em Campos, os funcionários são levados diretamente de helicóptero às plataformas, em voos que podem durar até duas horas. Já os equipamentos e suprimentos vão por embarcações de apoio, como rebocadores. Segundo Barbosa, replicar tal sistema em Santos, porém, seria ineficiente. “A distância média que percorremos hoje é de apenas 100 quilômetros”, compara o executivo. E os barcos, diz, navegam a uma velocidade de 1,6 km/h.

O trabalho em busca de um novo modelo logístico foi motivado, em um primeiro momento, pela limitação dos helicópteros para voar 600 quilômetros sem abastecimento – ida e volta das plataformas, em caso de impossibilidade de pouso por causa de mau tempo. “Hoje há alguns projetos de helicóptero com essa autonomia, mas com capacidade máxima entre 22 e 24 pessoas. É pouco, se compararmos com a alternativa marítima, comenta Barbosa.

Fonte: EXAME





Mais duas companhias aéreas no Brasil estão por vir

2 07 2009


A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou ontem (01/07) que autorizou a criação de mais duas companhias aéreas no Brasil para atender operações regionais de cargas e passageiros. Dando os primeiros passos no funcionamento jurídico, começam entrar em jogo a Sol Linhas Aéreas (sede em Cascavel-PR) e a Nordeste Aviação Regional Linhas Aéreas (sede em Caruaru-PE).

Fonte: ADVFN





Aumento do Pedágio nas Estradas Paulistas

1 07 2009


Rodar pelas estradas paulistas ficará mais caro. Os valores dos pedágios serão reajustados, conforme contrato entre o governo do Estado e as concessionárias. Os reajustes variam de 3,64% a 5,19%. Descer para a Baixada Santista pelo Sistema Anchieta-Imigrantes vai custar R$ 17,80. Antes era R$ 17. Já o pedágio na Rodovia dos Bandeirantes passará dos atuais R$ 5,90 para R$ 6,10 e na Castelo Branco de R$ 10,80 para R$ 11,20.

Os índices foram divulgados ontem pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transporte no Estado de São Paulo (Artesp). O índice de 3,64% vale para as empresas que têm contratos de concessão assinados entre 1998 e 2000. Os 5,19% são referentes aos novos contratos originados na segunda etapa do Programa de Concessões Rodoviárias.

Recém-concedida, a D. Pedro I vai passar de R$ 8,60 para R$ 9. E o Sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto passará de um total de R$ 16 divididos em quatro praças de cobrança para R$ 16,80. Nas três rodovias está prevista a construção de praças de pedágio bidirecionais. No trecho oeste do Rodoanel, a tarifa passa de R$ 1,20 para R$ 1,30, aumento de 8,33%.

De acordo com a Artesp, o arredondamento do cálculo dos centavos permitiu a 63% das praças de pedágio reajustar as tarifas abaixo do índice aplicado. O cálculo de cada trecho de cobertura de pedágio, que é multiplicado pelo valor da tarifa quilométrica, possibilitou a manutenção dos atuais valores em quatro praças de cobrança: Diadema e Eldorado, na Rodovia dos Imigrantes; Sorocaba, na SP-075, e em Rio Claro, na SP-191. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.